A invasão da Russia na Guerra da Síria

A Rússia iniciou sua ofensiva aérea contra as posições do Estado Islâmico na Síria na quarta-feira (30) em resposta a um pedido oficial de ajuda militar apresentado por Damasco.

Um representante das forças aeroespaciais da Rússia disse à agencia RIA Novosti:

“Nos ataques a infraestruturas dos islamistas, a aviação russa usa armamentos da mais alta precisão, em particular, bombas aéreas com correção via satélite.
A trajetória de tais bombas é corrigida com a ajuda do GLONASS logo depois da separação da asa da aeronave.
Também recebe coordenadas procedentes do avião. Assim, a precisão do bombardeio é de mais ou menos dois metros, independentemente das condições do tempo ou estação de ano. Isto permite eliminar alvos dos militantes e excluir a possibilidade de morte de civis”.

Anterioremente, o Ministério da Defesa havia dito que a utilização dos bombardeiros Su-34 permite efetuar ataques contra o EI em todo o território sírio e com precisão absoluta.

O embaixador sírio na Rússia, Riyad Haddad, confirmou que os ataques são efetuados somente contra agrupamentos terroristas armados e não contra a oposição ou civis.

Segundo o embaixador, o exército sírio dispõe de coordenadas certas da localização dos terroristas.

Ele acrescentou que as bombas KAB-250 são lançadas do caça Su-34 de uma altitude de cinco quilômetros.

De acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, pelo menos 27 civis morreram, incluindo seis crianças, e dezenas ficaram feridos em bombardeamentos “do regime” de Bashar al Assad.

Fontes: SputnikNews TVI24, Youtube, Euronews

Valeriia Stukalina

Tags: