A língua portuguesa está na moda

Gostar de uma língua opcional é algo natural.

Talvez o que não seja tao comum é o facto de muitos países terem adoptado deliberadamente um idioma para ser alternativa à sua língua oficial.

São os casos do Senegal, da Namíbia e da Africa do Sul que acabam de introduzir o português.

Quatro décadas apos o fecho do processo de descolonização em Africa (Angola, Moçambique, São Tome e Príncipe, Guiné-Bissau e Cabo Verde), eis que antigas colonias da Franca e da Inglaterra, outras grandes potencias colonizadoras do continente negro, se viram para uma língua um tanto ou quanto secundarizada durante muito tempo.

Em entrevista a Antena 1, a presidente do Instituto Camões previu que com mais esta investida linguística a somar a outras antigas, em 2050 haja pelo menos 335 milhões de falantes em todo o mundo. Ana Paula Laborinho, sublinha que “a expansão do português pode trazer vantagens económicas”.

A II conferência internacional sobre o futuro da língua portuguesa no sistema mundial, que começou hoje em Lisboa, deverá regozijar com a ofensiva linguística do Senegal da Namíbia e da Africa do Sul.

Mas, muito mais que regozijar será um fórum privilegiado para se fazer o balanço das acções e perspectivar planos futuros para a promoção da língua portuguesa no Mundo.

Alveno Figueiredo e Silva e Pedro Garcia

Tags: