A Múmia Ginger foi assassinada

A múmia mais famosa do Museu Britânico, batizada por Ginger devido ao cabelo vermelho, morreu devido a uma facada nas costas, revelaram exames médicos realizados através de tecnologia 3D.

Os visitantes do Museu podem ver o interior do corpo da múmia através de “scans”.

Ginger (ou Homem de Gebelein) tem 5500 anos e está em exposição no Museu Britânico em Londres, há mais de 100 anos.

Foi um rapaz que morreu devido a uma facada nas costas, concluíram os médicos legistas através de uma “autópsia virtual”.

«A escápula esquerda está ligeiramente danificada. Mas pode ver-se que a costela imediatamente sob a escápula foi destruída de tal forma que dividiu o tecido em dois.

E isso revela que foi utilizada imensa força, atingindo provavelmente o pulmão (retirado no ritual da mumificação).», explicou Daniel Antoine, especialista do Museu restos humanos ao jornal The Times.

Os exames revelaram ainda que Ginger era um jovem com idade compreendida entre os 18 e 20 anos, e com físico musculado.

Antoine acredita que pela falta de feridas defensivas, Ginger foi atacado de surpresa.

Depois da Pedra da Rossetta, o Homem de Gebelein é a segunda grande atração do Museu Britânico.

Fonte: Agência Lusa

Ricardo Francisco / Tiago Neto

Tags: