África perde cada vez mais elefantes devido a caças ilegais

Nas vésperas da “Cimeira do Eliseu para a Paz e Segurança em África”, o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), pediu hoje uma acção urgente contra a caça ilegal dos elefantes e mais envolvimento dos Estados.

Os números divulgados hoje indicam que em 2012 foram mortos 22.000 elefantes, se a caça ilegal se mantiver no continente de África, pode perder 20% da sua populaçao destes mamíferos nos proximos 10 anos.

“Não estamos a falar de caça furtiva artesanal, mas a ver a exterminação dos mais mamíferos terrestres do planeta” revelou Stéphane Ringuet, cientista do programa “Traffic” (uma parceria do Fundo Mundial para a Natureza). Alertou ainda que na defesa destes animais é “urgente passar das palavras aos actos”, relembrando que todos os dias são mortos mais de 60 elefantes.

A União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), tem hoje uma reunião em Gaborone com responsáveis políticos e especialistas de 30 países envolvidos neste negócio, a fim de encontrarem medidas para impedir a caça ilegal dos mamíferos.

Ontem Philippe Germa, director do WWF França, anunciou um acordo entre estes países onde afirmando: “Este acordo não é um grande sucesso, só foi assinado por cinco países: Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido Botswa e Zâmbia”.

O respónsavel por este acordo lamenta ainda que a caça furtiva não faça parte da agenda da “Cimeira do Eliseu” que reúne 40 dirigentes africanos, revelando que esta caça contribui para a falta de segurança em África, uma vez que este tráfico de marfim é realizado por grupos criminosos.

Fontes: Díario de Notícias, Sic Notícias, Portugal News

Ana Grova

Tags: