Angola anuncia fim da parceria estratégica com Portugal

O presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, anunciou o fim da parceria estratégica com Portugal. O comunicado vem no seguimento do discurso do estado da Nação, na Assembleia Nacional de Angola, em Luanda.

“Só com Portugal, as coisas não estão bem. Têm surgido incompreensões ao nível da cúpula e o clima político atual, reinante nessa relação, não aconselha à construção da parceria estratégica antes anunciada”, anunciou o presidente.

Nas últimas declarações do presidente angolano, numa entrevista à SIC em Julho, afirmou que as relações com Portugal não “estão isentas de problemas, mas decorrem num quadro de amizade e grande compreensão”.

Estas declarações vêem no seguimento da entrevista do Ministro do Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, à Radio Nacional de Angola, minimizando as consequências da investigação judicial portuguesa da qual alguns empresários angolanos são alvo.

O ministro das Relações Exteriores de Angola, George Chikoti, no seguimento do discurso do presidente angolano, afirmou que as relações com Portugal podiam ser melhores, mas que tem surgido inúmeras dificuldades que impedem estabelecer determinadas relações estratégicas.

O impacto na economia poderá ser enorme, uma vez que são inúmeras as empresas portuguesas com sede em Angola, estimando-se mais de cerca de 150 mil portugueses a trabalhar em Luanda.

O constante crescimento da economia angolana tem servido como uma “lufada de ar fresco” para muitas empresas lusitanas, prejudicas pela economia que a Europa, e consequentemente Portugal, atravessam.

Estava previsto a primeira cimeira bilateral, a decorrer em Fevereiro do próximo ano, anunciado pelo antigo Ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas.

A cimeira encontra-se em risco de ser cancelada.

Fontes: Expresso, Jornal Notícias, Jornal de Negócios, Jornal Público

Ana Grova, Pedro Guarda e Jader Ramos

Tags: