Angolana Newshold quer comprar RTP

A empresa de capitais angolanos que detém o semanário Sol anunciou esta quinta-feira que é candidata á privatização ou concessão da RTP

O conselho de administração do grupo afirmou ter meios para apresentar uma candidatura séria para garantir a implementação de um projecto verdadeiramente sólido para a RTP, em comunicado.

Segundo o Público, o ministro da tutela tem praticamente fechado a privatização de 49% do grupo, ficando depois o parceiro privado com a gestão total através de um acordo parassocial.

Num extenso comunicado, assinado pelo presidente do conselho de administração da Newshold, Sílvio Alves Madaleno, e por Mário Ramires, presidente executivo, a empresa diz que na origem da “recente onda de notícias e opiniões difamatórias” que sobre si têm sido publicadas está a eventual privatização da RTP e a “compreensível apreensão que a incerteza quanto ao destino da operadora pública de televisão em Portugal” está a provocar nos restantes operadores do sector.

A administração da Newshold queixa-se de ser apontada com frequência pelo sector dos media portugueses como um “grupo supostamente ‘misterioso’, de interesses alegadamente ‘obscuros’ e ‘angolano’. Nada mais falso”.

A empresa lembra que por ter uma participação qualificada na Cofina, de Paulo Fernandes, que edita o Correio da Manhã, o Record e o Jornal de Negócios, tem que ter todos os seus accionistas identificados.

Quem o faz, diz a empresa, é porque tem “preguiça” em procurar informação.

A Newshold acrescenta que os accionistas têm de facto nacionalidade angolana mas também portuguesa.

Para além de terem obtido, fruto do seu trabalho e dos seus negócios, proveitos financeiros em Angola, que agora servem de suporte à sua actividade empresarial em Portugal

Fonte: Público

Carlos Fernandes e Henrique Correia

Tags: