Argumentos da PSP impedem manif da CGTP

A manifestação convocada pela CGTP obteve ontem à tarde um parecer negativo da PSP.

De acordo com a Polícia de Segurança Pública, existem vários factores que impedem a realização da contestação convocada para o próximo sábado, dia 19.

Um desses factores diz respeito à constituição da ponte, o que, segundo a PSP, dificulta a operação dos agentes em caso de emergência.

Também a Lusoponte, concessionária que faz a gestão da Ponte 25 de Abril, apresenta os mesmos argumentos.

Já o ex-secretário-geral do Sistema de Segurança Interna também reforça a falta de segurança que a ponte poderá apresentar, aconselhando mesmo que haja medidas especiais de segurança, especialmente com a linha ferroviária que existe abaixo da ponte.

“Seria aconselhável suspender a circulação do comboio”, ressalta Mário Mendes, que aponta até para a possibilidade de haver “danos ou sabotagens”

De acordo com Arménio Carlos, ´podemos deixar as faixas laterais livres para veículos de emergência’, explica o líder da CGTP, que considera estes pareceres como impedimentos para a realização da manifestação. Contudo, a CGTP pondera com a prosseguição da marcha, que terá início por volta das 12h30 em Almada, e que terá como ponto de chegada a Av. de Ceuta.

O líder do sindicato acrescentou ainda que esta polémica tem vindo a trazer ainda mais manifestantes, “telefonam a dizer-nos que agora é que fazem questão de marchar na ponte. Vai vir gente de todo o lado”, garante Arménio Carlos.

Já outro dirigente da CGTP garante que o sindicato reforçou a sua própria segurança para que “nada corra mal”.

Fonte: Sol

Rute Fidalgo

Tags: