Atestados médicos sem registos clínicos

Cerca de 30% dos atestados médios analisados pela Inspeção-Geral das Atividades em Saúde foram emitidos sem registos sobre a situação clínica do utente.

Segundo um relatório oficial da IGAS (Inspeção-Geral das Actividades em Saúde) a situação é “deveras preocupante”.

Cerca de um terço dos atestados médicos foram passados “sem evidência de quaisquer registos clínicos de suporte”, o que leva a um desrespeito do Código de ética e de conduta da IGAS.

Apesar das irregularidades trazidas a público, a IGAS não optou por uma vertente disciplinar, mas sim, pelo desenvolvimento de um novo documento onde são introduzidos “alertas de informação” e “campos de preenchimento obrigatório” que impeçam esse tipo de irregularidades.

Ao todo foram encontrados 41 médicos responsáveis pela emissão de atestados sem registos clínicos, levando a Inspeção-Geral das Actividades em Saúde a estar mais atenta a este tipo de situações.

O Ministério da Saúde apoia esta decisão e diz que vai ajudar nesta atenção redobrada.

Fontes: Jornal de Notícias, IGAS, Visão, Jornali e Ministério da Saúde

Ana Elisa Pereira e Diana Ferreira Santos

Tags: