Cidade do Porto sem autocarros públicos

Os trabalhadores da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto, aderiram à manifestação nacional no dia em que o Orçamento de Estado foi aprovado no parlamento.

Os cerca de 200 autocarros que habitualmente circulam pelas ruas da cidade estiveram parados.

Segundo o responsável sindical, esta foi a resposta que os funcionários públicos usaram para demonstrar o seu descontentamento, neste período de crise.


Ainda em relação a esta greve, o representante da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações, Vitor Pereira salienta que “caso a administração da STCP e o Governo não recuem, a luta é para continuar”.

A cidade do Porto encontra-se sem autocarros e a adesão à greve ronda os 100% e a STCP não disponibiliza os serviços mínimos.

Os sindicatos já marcaram um novo período de protesto, de 2 a 7 Dezembro, onde haverá paralisações todos os dias nas últimas duas horas de cada serviço.

A organização sindical alertou para a possibilidade de vir a haver “perturbações significativas” no dia da greve.

O Tribunal Arbitral estabeleceu serviços mínimos correspondentes a cerca de 25% da oferta normal.

Alveno Figueiredo e Silva nº 21107239
Pedro André Garcia nº 21103543

Tags: