Cimeira do Clima traz sinais positivos

Jorge Moreira da Silva, ministro do Ambiente, Ordenamento do território e Energia, afirma que daqui irá sair um novo acordo climático com negociações concluídas no final de 2015, numa reunião que ocorrerá em Paris.

Segundo o Jornal Público e a agência Lusa, o representante de Portugal na cimeira notou uma vontade política geral dos países, em especial dos EUA e China, em encontrar uma solução ambiciosa para travar o aquecimento global.

A cimeira do clima teve lugar em Nova Iorque, a 23 de Setembro, e contou com a presença de vários líderes políticos, financeiros e da sociedade civil a nível mundial, de forma a serem tomadas decisões que levem a acções concretas na luta contra as alterações climáticas.

Ban-ki-moon, secretário-geral das Nações Unidas pediu ainda aos líderes que trouxessem à cimeira anúncios e acções que visem a redução de emissões e que mobilizem a vontade política para um acordo legal em 2015.

A Quercus, organização de defesa do ambiente, classifica esta cimeira como positiva, no sentido em que existe vontade por parte dos líderes políticos, que até à data não a tinham revelado, em assinar um acordo “ambicioso, inclusivo e flexível”, segundo palavras do Presidente Obama.

A organização lamenta apenas que, China e Estados Unidos – os maiores emissores de gases com efeito de estufa, não tenham apresentado números, de forma a quantificar o seu comprometimento.

A Quercus louva ainda o discurso oficial da China, no qual o líder E Zhang Gaoli prometeu iniciar reduções na emissão de gases com efeito de estufa o mais cedo possível.

Em contraste com os EUA e China, esteve a União Europeia (EU) que não se fez ouvir como era de se esperar.

Fonte: Público

Cláudia de Matos

Tags: