Descarrilamento condiciona circulação do Metro do Porto

Uma parte do metropolitano da cidade do Porto descarrilou hoje, por volta das 9h, entre as estações da Trindade e da Lapa.

O acidente não provocou feridos, uma vez que a anomalia foi detectada a tempo por parte do condutor.

“O condutor sentiu os rodados presos. Deve ter sido esse o motivo da avaria, mas ainda não podemos confirmar”, avançou Jorge Morgado, director do gabinete de comunicação do Metro do Porto.

Imagem retirada do Google

Em circulação pela Linha Laranja, entre as estações de Fânzeres (Gondomar) e Senhora da Hora (Matosinhos), o condutor detectou algumas irregularidades na circulação do metro, pedindo à central uma evacuação imediata de passageiros, marcava o relógio 8h30.

Após os passageiros se terem retirado na estação do Heroísmo, o metro dirigia-se ao túnel J, que se trata de um ramal reservado a manobra das composições, uma zona não comercial. Já evacuado, o metro viu-se obrigado a passar pela estação da Trindade a caminho do seu destino, não completando a sua chegada à estação da Lapa, embatendo numa parede do túnel entre as duas estações. O condutor não ficou ferido, no entanto a circulação ficou bastante condicionada.

O comunicado oficial do Metro do Porto avança que a circulação no túnel da Lapa vai-se processar em via única. Apesar da solução improvisada, o túnel está situado numa zona de tronco comum da rede, condicionando a circulação em todas as linhas, exceptuando a Linha Amarela, entre o Hospital de S. João (Porto) e Santo Ovídio (Gaia).

Segundo as previsões, o veículo acidentado deveria ter sido retirado do túnel ainda da parte da manha, repondo a sua circulação normal. “É um veículo de 40 toneladas e a operação de recolocação sobre a linha é demorada”, acrescenta. A operação revelou-se mais complexa, como se estimava, estando prevista a circulação normal a apartir das 15h.

Fontes: Público, SOL, Expresso, CM

Ana Grova e Jáder Ramos

Tags: