Enfermeiros em exaustão exigem ajuda do Governo

Várias centenas de enfermeiros reuniram-se na passada quinta-feira em frente ao Ministério da Saúde, em Lisboa, no segundo dia de greve geral convocada pelo Sindicado dos Enfermeiros Portugueses (SEP).

A carência de profissionais de enfermagem existente em vários hospitais e centros de saúde do país faz com que muitos enfermeiros entrem em estado de exaustão, sendo o motivo da greve que teve aproximadamente 80% de adesão.

O aumento das horas de trabalho, que de 35 horas passou a 40 horas semanais, deve-se à falta de enfermeiros nos hospitais de todo o país.

O Sindicato considera necessário recrutar mais 25 mil enfermeiros, suprindo assim as lacunas abertas devido ao ritmo acelerado de saída de profissionais nos últimos tempos, tanto por aposentações como por idas para o estrangeiro.

Segundo o Ministro da Saúde, Paulo Macedo, esse número requerido pelo Sindicato não é possivel alcançar, afirmando que o país “não tem possibilidade nem oportunidade” de recrutar tantos profissionais de enfermagem.

O Ministro lembra também que o governo vai contratar mais 1700 enfermeiros até Outubro de 2015.

Os dirigentes do Sindicato estão dispostos a continuar com greves nos próximos meses continuando assim a contestar a falta de recursos humanos e a sobrecarga de trabalho, estando já agendadas mais três paralizações.

Só nos últimos tempos 7500 enfermeiros emigraram devido à falta de trabalho no nosso país.

Fontes: Publico, Rcmpharma

Mónica Lima

Tags: