Festival Rotas e Rituais 2014

O Festival Rotas & Rituais está de regresso ao Cinema São Jorge, de 14 a 23 de Novembro sob o lema “A Liberdade não é um Acessório”.

A 8ª edição do festival tem como tema principal os 40 anos do 25 de Abril, onde vai ter 3 noites de concertos, um ciclo de cinema documental, uma exposição e quatro conferências.

No dia 14 de Novembro, o Rotas e Rituais arrancou com canções de intervenção do antes e pós 25 de Abril, já no dia 20 o festival irá premiar os seus visitantes com o espectáculo “Projecto com Voz”, formado por um coro de 30 elementos de várias faixas etárias, entre os 55 e os 83 anos, que interpretam temas de Zeca Afonso e de outros cantores portugues, a exposição “Grândola, Vila Morena” também constou no dia de abertura do festival, esta que foi uma iniciativa do projeto “Maismenos”.

Continuando a vaga de concertos, no dia 22 de Novembro, penúltimo dia do festival, os “Mão Morta” vão aparecer em palco para dar o contributo da intervenção que fazem na sociedade através da música, com o novo albúm “Pelo meu relógio são horas de Matar”, albúm que foi lançado com muita polémica devido ao video em que Adolfo Luxúria Canibal apareceu com um revólver em mão, praticando a justiça na sociedade.

Os 16 documentários no programa também não passam despercebidos, foram gravados em vários pontos do mundo, retratantado casos de violência, revoluções, crises, censura e violação dos Direitos Humanos.

Na programação do festival está em destaque o documentário que será exibido dia 23 de Novembro às 21:30, “Dirty Wars”, de Richard Rowley, um filme que já conta com 8 prémios e cinco nomeações, a última delas para melhor documentário dos Academy Awards 2014.

As exposições também constam do programa do Rotas e Rituais com o tema central da “Revolução dos Cravos”, já as conferências “Europa, os velhos e os novos muros”(dia 15), “Quem anda a fazer batota na democracia?”(dia 16), “Internet, plataforma de comunicação ou controlo social?”(dia 22), e no último dia do festival, a conferência de encerramento “Livres ou parcialmente livres, a situação dos órgãos de comunicação social”.

A organização do festival EGEAC, empresa municipal encarregada da animação cultural, espera superar a participação dos visitantes da última edição superando os dois mil visitantes.

A entrada é livre para todos os eventos do festival, à excepção dos concertos de B Fachada e de Mão Morta, nestes o valor é de 8 euros.

Fontes: O Público, HardMusic, Notícias ao minuto, Rotas e Rituais.

Adriano Ferreira

https://youtube.com/watch?v=gfGV40sv1iI%3Fstart%3D60%26end%3D140

Tags: