Google exclui pornografia infantil

A Google encontra-se numa “guerra” contra a pornografia infantil desenvolvendo novas tecnologias para a destruição da mesma, anunciou ontem o CEO da empresa, Eric Schmidt.

Em pareceria com outros gigantes da área, como é o caso da Microsoft, foram eliminados mais de 100 mil termos de pesquisa usados na localização de imagens sexuais de crianças, aplicando essas medidas em 150 idiomas no período de seis meses, resultando cerca de 13 mil advertências no que diz respeito à pesquisa destes conteúdos.

As decisões tomadas resultam de uma exigência do governo britânico com perspectivas de adopção deste método em outros motores de busca.

Na entrevista ao jornal “Daily Mail”, Schmidt afirmou que a Google destacou cerca de 200 funcionários nos últimos tres meses para criar esta nova tecnologia, com expectativas “que as tecnologias desenvolvidas (e partilhadas) pela a nossa indústria façam a diferença contra este crime terrível”.

A Google desenvolveu ainda uma tecnologia que permite marcar vídeos ilegais do mesmo tipo para que todas as cópias possam ser retiradas da internet, acrescentou.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, enalteceu ”esta grande vitória” antes de liderar uma cimeira sobre o tema.

Já o site Internet Watch Foundation que rastreia material obsceno online, deu as “boas-vindas” a estas novas medidas – “há uma corrida entre as empresas de topo para criar ferramentas válidas; estamos todos a trabalhar em prol de um objectivo comum: proteger as crianças”.

Fontes: Metro, Diário de Noticías, TechTudo e Internet Watch Foundation

Ana Grova e Jáder Ramos

Tags: