Impedimento de Platini


Fonte da Imagem: Woordpress

As eleições para a presidência da FIFA surgem após a demissão de Joseph Blatter, que esteve 17 anos aos comandos do futebol mundial, e em Setembro deste ano foi alvo de uma investigação criminal por parte das autoridades da Suíça.

Contudo, a crise da UEFA já se arrasta a uns meses, tendo sido detidos sete dirigentes da organização e sujeitos à investigação outros tantos por suspeitas de corrupção no decorrer de uma operação realizada pela Justiça dos Estados Unidos da América.

O comité eleitoral da organização que regula o futebol mundial emitiu esta quinta-feira um comunicado no qual constam os cinco nomes admitidos às eleições de Fevereiro próximo: o príncipe Ali Al Hussein, o xeque Salman Bin Ebrahim Al Khalifa, Jérôme Champagne, Gianni Infantino e Tokyo Sexwale. Inicialmente seriam sete, mas a FIFA deixou de fora Michel Platini e Musa Hassan Bility. Para a selecção dos candidatos foram tidos em conta diversos aspectos, tais como: os casos judiciais, os processos de bancarrota e as denúncias dos jornais sobre conduta fraudulenta e corrupção.

Michel Platini, o líder da UEFA não vai porque está suspenso, com previsão de término para inicio de Janeiro, embora até lá a situação ainda possa mudar e ai pode até mesmo ser admitido a eleições.

As razões especificas da exclusão de Musa Bilitty, actual presidente da federação de futebol da Libéria, não foram reveladas. No entanto, este pode recorrer da decisão do comité para o Tribunal Arbitral do Desporto, em Lausana, na Suíça.

Sendo que, todos os candidatos exerceram um direito de audição para explicar os eventuais pontos menos claros das respectivas condutas.

Fonte do texto: Observador

Ana Rodrigues

Tags: