Jornais: papel em queda, online a subir

As vendas dos jornais desportivos e semanários caíram acentuadamente na última década, registando perdas de 42% e 39%. Nos semanários estão incluídos o Expresso, o Sol e o Vida Económica que passaram a vender menos 91.175 exemplares por semana.
Nos jornais desportivos, Record e O Jogo terão vendido menos de 57.647 exemplares por dia.

Os jornais económicos são os únicos a fugir à crise do papel. Segundo os dados da Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem e Circulação ( APCT) tiveram um aumento nas vendas de 17% desde 2004, isto é, mais 3.396 exemplares comercializados por dia.

O cenário de queda repete-se nos seis diários generalistas Jornal de Notícias, Correio da Manhã, Diário de Notícias, Público e i cujas vendas ascendiam, em 2004, aos 366.516 exemplares por dia, mas actualmente encontram-se nos 257.861 exemplares.

Por outro lado as assinaturas das versões digitais das publicações têm vindo a crescer bastante, desde Janeiro a Junho deste ano, face a igual período de 2011.

Os especialistas do sector defendem que o jornal em papel não irá desaparecer, porém terá de acompanhar os novos modelos de negócios e a convivência com o online e as aplicações móveis.

“O papel existirá sempre, caso contrário seria como se comêssemos uma fruta, sem ter olfato, tendo apenas o sabor”, disse o presidente do OmnicomMediaGroup, Luís Mergulhão, à TVI 24, acrescentando que “mantém um elemento fundamental, pois é por natureza o meio mais associado à informação, mais que a televisão e a rádio, também muito ligados ao entretenimento”.

A acompanhar o online está também o crescimento do jornalismo para dispositivos móveis, que para o docente da Universidade da Beira Interior, João Canavilhas, “está a ser encarado como uma fonte alternativa de financiamento”. O docente referiu à revista CNoticias que os estudos mais recentes para o jornalismo em formato digital preveem que “em 2016 existirão 18,6 mil milhões de ligações de rede e metade do tráfego dessas redes acontecerá sobre ligações sem fios”.

Fontes: CNoticias; TVI24.

Jéssica Amaro | Rita Paulo

Tags: