“Jornal dos jornalistas” arranca dia 5 de Novembro

O “Jornal dos jornalistas” define-se como um projecto inovador, em que os detentores do jornal serão os próprios jornalistas.

A publicação, que vai contar com cerca de 100 jornalistas, sai para as bancas no dia 5 de Novembro.

Apesar de admitir uma inclinação política de esquerda, a declaração de interesses do jornal afirma que “salvaguardará o pluralismo e a liberdade de expressão, cuidando de todas as áreas políticas e dirigindo-se a todos os cidadãos”.

Também aqui se pode ler a verdadeira intenção do jornal: construir um jornal “verdadeiramente independente, sem precisar do auxílio de partidos ou grupos económicos”.

O projecto foi financiado pelos próprios jornalistas, com cada um a contribuir com 1000 euros, o que prefaz um total de 100 mil euros. No entanto, os jornalistas não serão remunerados durante 2 ou 3 meses, isto é, até o jornal se tornar sustentável, o que, segundo o jornalista Dimitris Famariotis, será alcançado caso sejam vendidos “entre 15 a 20 mil jornais por dia”.

Os 100 jornalistas fundadores do “Jornal dos jornalistas” são provenientes do Elefterotypia (em português, “Imprensa Livre”), que encerrou em Dezembro do ano passado, e que era conhecido por apoiar o partido socialista PASOK.

Este é um projecto inédito na Grécia e raro na Europa e tem como objectivo “contribuir para o desenvolvimento de novas ideias, opiniões e correntes tanto no cenário político e social, destacando os problemas reais da sociedade”.

Carlos Fernandes & Henrique Correia

Tags: