• Início
  • Notícias
  • Mário Soares eleito personalidade do ano pela imprensa estrangeira

Mário Soares eleito personalidade do ano pela imprensa estrangeira

O antigo Presidente da República Mário Soares foi eleito a personalidade do ano pela Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal, distinguindo simultaneamente o “importante papel” na democracia portuguesa e a sua “enérgica actividade” em 2013.

A Associação de Imprensa Estrangeira justificou a atribuição do prémio Personalidade do Ano/Martha de la Cal 2013 ao antigo Chefe de Estado e de Governo, sublinhando que “Em 2013 Mário Soares tem sido uma das principais vozes na sociedade portuguesa”.

O prémio é um reconhecimento da pessoa ou da instituição portuguesa que mais fez pela imagem do país no exterior e foi decidido por cerca de 60 jornalistas que representam meios de comunicação de mais de 20 países.

Os correspondentes estrangeiros “quiseram, com este prémio, constactar o importante papel desempenhado por Mário Soares na democracia e na história de Portugal”.

“Por um lado, serve para reconhecer a sua longa e intensa trajectória política, por outro, pretende galardoar a enérgica actividade realizada ao longo do presente ano”, lê-se no comunicado da Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal que fez o anúncio da distinção na passada terça-feira.

A associação que representa os jornalistas estrangeiros salientou ainda que Soares “sempre manteve uma relação de amizade com os correspondentes, quer durante a sua etapa como primeiro-ministro e, posteriormente, como Presidente da República, bem como nos anos posteriores”, sendo sócio honorário da associação.

“É a personalidade portuguesa que mais mostras tem dado de reconhecimento do trabalho realizado pelos correspondentes”, declarou a associação.

Entre os galardoados encontram-se a artista plástica Joana Vasconcelos que recebeu o prémio no ano passado, e em anos em anteriores, Carlos Paredes, os Capitães de Abril, José Saramago, Mariza, António Guterres, Durão Barroso, Rosa Mota, Álvaro Siza Vieira, Luís Figo, Joaquim de Almeida, Vanessa Fernandes, a Fundação Gulbenkian, a Fundação Champalimaud, António Mega Ferreira ou Eduardo Souto Moura.

Fontes: Público, JN, CM

Maria João Cavaco

Tags: