• Início
  • Notícias
  • Músicos angolanos têm portugal como principal destino para espectáculos

Músicos angolanos têm portugal como principal destino para espectáculos

A jovem música angolana penetra cada vez mais nas salas de espectáculos da Europa.

Portugal tem sido dos palcos mais visitados por estes artistas dos PALOP, com destaque para os músicos da nova geração, numa lista liderada por Anselmo Ralph, Yuri da Cunha, dupla B4, Os Tunezas e o projecto Team de Sonho.

Da mesma lista figuram ainda Yola semedo, Pérola, Ary, Puto Português e Matias Damásio, artistas que, há já algum tempo, assumiram o desafio de levar a música que fazem através de espectáculos de grande dimensão, alguns dos quais realizados em espaços como o Coliseu dos Recreios e no Campo Pequeno ou até mesmo no Meo arena, lugar que há pouco menos de quatro anos serviu para a realização de um festival, pela LS Produções, que celebrou mais um ano da conquista da paz em Angola, sala esta, onde Anselmo Ralph, realizou o seu último concerto acontecido no passado dia 8 de Dezembro de 2015.

Imagens: Google

Apesar dos espectáculos de grande dimensão já serem hábito para alguns nomes do música angolana, a esmagadora maioria de algumas realizações resumem-se em discotecas africanas ou shows para pequenas comunidades angolanas em países como Inglaterra, Holanda, França e outros.

Nota de realce é o domínio que o consumo da música angolana começa a ter no seio dos países lusófonos em África, fazendo com que os seus autores sejam movidos para estes pontos tais como, São Tomé, Cabo Verde e Moçambique.

Este último teve recentemente o espectáculo, na cidade de Maputo, que serviu para gravação do novo DVD de Yuri da Cunha e também a actuação de Anselmo Rap, ao passo que Bonga animou um espectáculo na cidade da Beira há pouco menos de quatro meses.

O nível de aceitação do público é, para os promotores, satisfatório, factor que motiva a realização de mais eventos, na perspectiva de dar continuidade aos intentos de exportação da música angolana.

Fontes: BandaSapo, RTP, Angolapress, Grupo Chiado

José Ndalo Ribeiro

Tags: