Nobel da química entregue a três investigadores

Nesta Quarta-feira, 9 de Outubro, foi atribuído o Prémio Nobel da Química ao austríaco Martin Karplus, ao britânico Michael Levitt e ao israelita Arieh Warshel, em Estocolmo.

O prémio deve-se ao desenvolvimento de modelos informáticos que permitem compreender e prever processos químicos.

De acordo com a Real Academia Sueca das Ciências, responsável pela atribuição do prémio, os três premiados dedicaram-se, desde os anos 70, “às fundações de poderosos programas que são usados para entender e prever processos químicos”.

A Academia adianta, também, que “os modelos computacionais que espelham a vida real tornaram-se cruciais para a maioria dos avanços feitos na química actualmente”.

Arieh Warshel, contactado durante a cerimónia, conta que o trio galardoado desenvolveu “um método de olhar para uma proteína e ver como, exactamente, ela faz o que faz.

Isso pode ser usado, por exemplo, para desenhar medicamentos”.

O avanço proporcionado por Karplus, Levitt e Warshel permitiu juntar dois mundos, o da física clássica e o da física quântica.

Antes, tinha que se optar por apenas uma.

O valor do prémio entregue é de 918 mil euros que será divido pelos três investigadores, que além da sua nacionalidade de origem, têm nacionalidade norte-americana.

Martin Karplus nasceu em 1930 em Viena e é investigador da Universidade de Estrasbrurgo, França e da Universidade de Harvad, nos EUA.

Michael Levitt, nascido a 1947 na África do Sul, trabalha na Escola de Medicina da Universidade de Stanford.

Arieh Warshel nasceu em 1940, em Israel e trabalha na Universidade da Califórnia do Sul.

Fontes: Público, Jornal de Negócios, Globo, AFP

Sofia Martins e Soraia Martins

Tags: