Obesidade nas raparigas provoca maturidade precoce

Nos Estados Unidos foi apresentado esta segunda-feira um estudo onde indica que a obesidade é um dos factores determinantes para uma puberdade precoce.

“Uma maturidade antecipada entre as meninas tem importantes implicações clínicas, tanto em nível psicológico quanto biológico”, explica o doutor Frank Biro, especialista na medicina da adolescência no hospital de crianças de Cincinnati (Ohio, norte), um dos principais autores deste estudo.

Não desvalorizando o problema da obesidade, o médico chama atenção para as consequências negativas que podem surgir de uma maturidade precoce, tais como: vários tipos de cancro, aumento da obesidade, hipertensão, mau desempenho escolar e falta de confiança em si mesmas.

As crianças que participaram tinham entre 6 a 8 anos quando o estudo começou, sendo sempre acompanhadas de 2004 até 2011.

Os médicos e autores examinaram 1.239 raparigas em clinícas de Cincinnati, Nova York e São Francisco medindo os cinco estágios do crescimento do peito.

Revelaram que, tal aumento varia com a raça, a origem geográfica e o índice de massa corporal (quanto mais gordura houvesse no corpo, mais depressa crescia o peito).

Ao comparar o crescimento do peito nas diferentes etnias concluiu-se que nas raparigas caucasianas o peito desenvolve-se numa idade média de 9,7 anos, nas raparigas negras os seios desenvolvem-se aos 8,8 anos e as raparigas hispânicas variam entre 9,3 e 9,7 anos.

Apesar do estudo ainda estar inacabado, os autores continuam a pesquisar para comprovar que factores fisiológicos e ambientais também contribuem para um amadurecimento precoce, finalizando que nas raparigas brancas esta maturidade é muito provável acontecer devido ao excesso de peso.

Fontes: Zero Hora, Sapo Saúde e UOL

Ana Grova e Jennypher Carreiro

Imagem retirada do site ”Sapo”

Imagem retirada do blog “Donzela Cristã”

Tags: