Pintor Piotr Pavlenski expoe-se na capital russa

Os moscovitas testemunharam na semana passada a um “espectáculo fora do comum” do pintor Piotr Pavlenski, qual seja, a exposição do seu corpo nu pregado pelos testículos a um paralelepípedo da Praça Vermelha.

Esta foi a forma absolutamente inédita que o artista encontrou para protestar contra o Governo de Vladimir Putin, no dia em que a polícia comemorava mais um aniversário da sua criação.

Autores: Maxim Zmeyev / Reuters

Segundo o sítio digital Noticias ao minuto: “Pavlenski ficou ao longo de mais de uma hora a olhar os seus testículos numa ação descrita como “metáfora da apatia, da indiferença política e do fatalismo da atual sociedade russa”.

A ação não ficou impune, foi chamado para o local cerca de 90 minutos uma brigada de segurança que o conduziu ao hospital da cidade para depois proceder a detenção.

Piotr Pavlenski não e propriamente um principiante neste tipo de procedimento que objetiva uma espécie de mutilação do corpo, pois, de acordo com a agencia noticiosa russa RIA-NOVOSTI: “03 de maio passado ficou completamente nú e enrolou-se em arame farpado frente ao Parlamento de São Petersburgo, num movimento que chamou de “Corpo” e que simbolizava “a existência humana num ambiente de repressão legal, quando o menor movimento provoca uma duríssima reação do sistema, que se crava no corpo do indivíduo”.

Em junho passado, numa atitude recorrente, o idealista havia costurado a boca com o fito de apoiar um grupo punk, formado por três raparigas que cantou numa igreja ortodoxa contra o presidente russo.

O portal A Tarde noticiou ontem que Pavlensky foi libertado sem acusação, adiantando que: “ O tribunal Tverskoy da capital russa se negou a estudar a denúncia apresentada pela polícia por “falta de indícios” de um delito, segundo Yekaterina Korotova, porta-voz da corte, citada por agências russas.

Alveno Figueiredo e Silva e Pedro André Garcia

Tags: