Portugueses têm menos filhos do que gostariam

Os portugueses, em idade fértil, têm em média 1,03 filhos, mas desejariam ter 2,31 filhos, revela o Inquérito à Fecundidade 2013 divulgado hoje pelo Instituto Nacional de Estatística ( INE) e pela Fundação Francisco Manuel dos Santos ( FFMS).

O inquérito analisa a fecundidade quer nas pessoas que têm filhos, quer em quem não os tem, em função do número de filhos que os portugueses têm, dos que pensam vir a ter e do número de filhos que desejariam ter.

Os dados obtidos revelam que as mulheres e os homens inquiridos têm, em média, 1,03 filhos, mas pensam vir a ter 1,77. No entanto, o número médio desejado é de 2,31 filhos.

Fonte: Global Imagens

Dos portugueses inquiridos que já têm filhos, 51% dos homens e 46% das mulheres não querem ter mais nenhum. Nos homens e mulheres com menos de 30 anos encontram-se a maioria das pessoas que não tem filhos, mas também a maior proporção de pessoas que quer ter 2 ou mais.

“Ver os filhos crescerem e desenvolverem-se” é apontado como o motivo mais importante para a decisão de ter filhos, uma vez que foi a resposta de 97% das pessoas inquiridas.

Outras razões são a “realização pessoal” e o desejo de ver “a família a aumentar”.

Álvaro Barreto, presidente da FFMS, afirmou não haver uma grande diferença entre homens e mulheres”.

O presidente da fundação disse que: “É grande a tendência em Portugal de culpabilizar as mulheres pela baixa de fecundidade, porque querem estudar, trabalhar ou ser como os homens. Ver que não existem muitas diferenças é um sinal de progresso”.

O inquérito mostra que na decisão de ter filhos os principais motivos a ponderar apontados, tanto por quem não tem filhos, como para quem os tem, são os “custos financeiros associados a ter filhos” e a “dificuldade para conseguir emprego”.

Fontes: DN, Público, ionline, Diário Digital, RTP

Sofia Martins

Tags: