Prémio Leya atribuído a portuguesa residente em Londres

Gabriela Ruivo Trindade escreveu o romance “Uma Outra Voz” e ganhou esta Terça-feira o prémio no valor de cem mil euros.

A autora é uma psicóloga de 43 anos, e esta de momento desempregada.

Esta nunca tinha escrito nem publicado nenhum romance, facto constatado pelo membro do júri Manuel Alegre, quando este lhe ligou para lhe dar esta maravilhosa noticia.

O escritor afirma que, a história tem personagens femininas muito fortes e que isso foi uma das coisas que mais o marcou, assim como uma também muito forte história de amor.

Elogiou ainda mais o romance dizendo que tem traços de originalidade e modernidade.

A cidade alentejana de Estremoz é o palco central desta história, onde se cruzam várias personagens. Retrata ainda a realidade da emigração para Africa antes da guerra colonial, e são exibidas várias fotografias do país, são fotografias dos anos 30, numa fazenda de café.

Esta obra foi escolhida por um júri que incluiu também os escritores Nuno Júdice, Pepetela e José Castello, e ainda José Carlos Seabra Pereira, da Universidade de Coimbra, Lourenço do Rosário, reitor do Instituto Superior Politécnico e Universitário de Maputo, e Rita Chaves, da Universidade de São Paulo.

O romance conta com 300 páginas, contado através de várias vozes, em que o ponto de vista da história vai sendo alterado.

Segundo o grupo LEYA esta edição foi a mais concorrida e a mais internacional, com 491 originais provenientes de 14 países.

Este prémio foi criado com o objectivo de distinguir anualmente um romance inédito escrito em língua portuguesa, tendo sido criado em 2008. Apenas em 2010, não foi atribuído nenhum prémio com a justificação de que nenhum dos originais recebidos tinha qualidade para o receber.

Fonte: Público

Tags: