Prémio Sakharov entregue a Denis Mukwege

O médico da República Democrática do Congo recebeu hoje o prémio para a Liberdade de Pensamento, numa cerimónia no Parlamento Europeu, em Estrasburgo.

Ao receber o prémio por volta das 12:00H (11:00H em Lisboa), Mukwege afirmou que “os corpos das mulheres tornaram-se num verdadeiro campo de batalha e a violação é utilizada como uma arma de guerra”.

No hospital onde trabalha, em Panzi, o médico congolês já tratou mais de 40 mil mulheres vítimas de violência sexual.

O hospital dá também contributo na área da psicologia aos seus utentes e fornece ajuda no campo jurídico para que os agressores sejam levados a tribunal.

“Ao me atribuírem o Prémio Sakharov estão a chamar a atenção do mundo para a necessidade de proteger as mulheres em períodos de conflitos armados, recusaram ficar indiferentes em relação a uma das maiores catástrofes humanitárias dos tempos modernos” referiu Mukwege, chamando a atenção dos deputados do Parlamento Europeu.

A primeira vez que este prémio foi atrbuído foi em 1988, ao primeiro presidente negro da África do Sul, Nelson Mandela.

Desde o ano de 2010 que esta distinção inclui um prémio monetário no valor de 50€ mil euros.

No ano passado, a jovem paquistanesa Malala Yousafzai foi a homengiada com este prémio.

Fontes: Diário de Notícias; Parlamento Europeu; A Bola; RTP.

Adriano Ferreira e Cláudia Évora

Tags: