• Início
  • Notícias
  • Responsáveis por rede de imigração ilegal detidos em Portugal

Responsáveis por rede de imigração ilegal detidos em Portugal

Na sequência do desmantelamento de uma rede de imigração ilegal em Portugal, o Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa colocou hoje em prisão preventiva sete suspeitos de facilitarem a imigração ilegal para Portugal e França.

O transporte dos imigrantes ilegais era efectuado em automóveis particulares. Deste modo, era facilitada a entrada para o centro da Europa.

Foram também detidos em Portugal, no passado dia 14, quatro eventuais líderes da mesma organização criminosa.

A rede de imigração ilegal tinha sido desmantelada, como resultado de uma operação policial realizada pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras ( SEF) em França e em Portugal.

Em comunicado à comunicação social, o SEF confirma a notícia revelada pelo jornal francês “Le Figaro”, onde dizia que a rede de transportes ilegal realizou cerca de 400 viagens durante um ano, permitindo a entrada na Europa de cerca de mil imigrantes provenientes do Paquistão, Sri Lanka e Indonésia.

Os suspeitos presos em Portugal são cinco estrangeiros e dois portugueses.

Foram efectuadas outras sete detenções em França, assim como vários mandatos de busca em domicílios, estabelecimentos e veículos.

Pormenores da investigação

A investigação criminal foi dirigida pela unidade de combate ao crime violento do DIAP de Lisboa, que decorria há cerca de um ano em coordenação com as autoridades francesas e com a colaboração também da polícia espanhola.

A denominada “Operação Batedores” permitiu a apreensão de dezenas de telemóveis, cartões SIM, aparelhos de GPS e computadores pessoais.

Foram encontrados ainda documentos que provam a transferência de dezenas de milhares de euros e foram apreendidos mais de 30 mil euros em dinheiro.

A hierarquia própria do grupo e os elevados rendimentos colhidos do pagamento dos “serviços”, por parte dos imigrantes ilegais que angariavam, foram descobertos através de documentos encontrados pelas autoridades.

O transporte dos imigrantes era feito em carros ligeiros ou monovolumes, tendo como origem e destino países como França, Alemanha, Suíça, Bélgica e Itália.

Em cada viagem, uma viatura com um só ocupante precedia o ‘comboio’ de veículos ocupados pelos imigrantes, que à passagem das fronteiras dava o alerta em caso de eventuais controlos policiais.

As buscas nacionais realizaram-se em Lisboa, Almada e Amadora, envolvendo 55 operacionais do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, bem como dois polícias franceses e um analista da Europol (polícia europeia).

Fontes: Expresso Online; Sol Online; TVI24; Publico Online.

Ver Vídeo

Beatriz Alves, Cátia Ferreira e Marisa Rodrigues

Tags: