• Início
  • Notícias
  • Semana de Cinema Luso-Brasileiro abre com o filme “Os Maias”

Semana de Cinema Luso-Brasileiro abre com o filme “Os Maias”

A Semana de Cinema Luso-Brasileiro de Maputo, uma iniciativa do Centro Cultural Brasil-Moçambique e do Centro Cultural Português, abre a 30 de Setembro com “Os Maias”, filme de João Botelho, e termina a 3 de Outubro.

Até 3 de Outubro serão apresentados sete filmes no respectivo festival, os filmes seleccionados para a Semana de Cinema Luso-Brasileiro serão projectados no Instituto Nacional de Audiovisual e Cinema ( INAC), na Universidade Eduardo Mondlane ( UEM) e na Escola Portuguesa de Moçambique, para todas as exibições a entrada é livre.

A longa-metragem de João Botelho “Os Maias”, baseada no romance do escritor Eça de Queirós, que estreou recentemente em Portugal e ainda inédita no Brasil, será exibida na Cine Scala pelas 18 horas.

Também em destaque é o filme “Capitães da Areia” (2009), este é um filme que retrata a vida de um grupo de jovens, ainda em tenra idade, que vivem nas ruas de Salvador da Bahia e lutam constantemente pela sobrevivência, o filme remonta aos anos 30 e é baseado na obra do escritor brasileiro Jorge Amado, por sua vez a realização da longa-metragem deve-se a sua neta Cecília Amado, e será exibido a 1 de Outubro pelas 14:30, no anfiteatro 1502 da Universidade Eduardo Mondlane (UEM).

É de referir ainda a exibição da longa-metragem “Tabu” (2012), do cineasta português Miguel Gomes, esta metragem é filmada maioritariamente em Moçambique, e retrata episódios de amor e crime, aventuras de vida e o perigo dos jogos de dinheiro.

Espera-se que a Semana de Cinema Luso-Brasileiro eleve ainda a qualidade do cinema Luso-Brasileiro, e que seja um ponto a favor para a exposição do cinema português no estrangeiro.

A Semana de Cinema Luso-Brasileiro encerra com o filme “O último Voo do Flamingo” (2010), longa-metragem de João Ribeiro.

Para mais informações visitar o site Instituto de Camões.

Fontes: Correio da Manhã, Instituto Camões, DN, O Público.

Adriano Ferreira

Tags: