Será possível identificar um agressor através do olfato?

Investigação na Universidade de Aveiro sobre odores em crimes desperta a atenção do meio forense e policial internacional.

O trabalho realizado por Laura Alho no Laboratório de Psicologia Experimental e Aplicada ( PsyLab) da Universidade de Aveiro causou alguma polémica depois de uma publicação na revista Plos One com colaborações internacionais, como Kate Houston da Texas A&M Internacional University (EUA), especialista em psicologia forense e colaboradora do FBI.

Os primeiros resultados experimentais vêm mostrar ser possível identificar um agressor responsável por um crime violento, sendo a memória olfativa da vítima, por vezes, mais eficaz que a memória auditiva ou até visual.

Fonte: DN, OBSERVADOR, uaonline

Por Alice Melo, Beatriz Cassona, Joana Raimundo

Tags: