Starbound – Uma mistela de diversão

O que é que se faz quando misturamos Minecraft com 2D e um universo infinito?

Starbound é um jogo criado pela “Chucklefish Games” que se foca em ser um jogo “sandbox” onde temos o universo para explorar.

O objectivo base do jogo é a exploração do universo, visitar novos planetas, conhecer novas raças e sobreviver.

Não é uma ideia muito nova, basta ver o Mass Effect ou o Minecraft com modificações.

Mas nenhum deles permite uma exploração como esta.

Quando começamos o jogo é nos apresentado o típico menu inicial, onde podemos escolher:

  • Um jogador
  • Dois Jogadores
  • Opções
  • Sair

Contando que se começa pelo “um Jogador” para aprender a jogar, é nos mostrado um menu para criarmos uma personagem onde depois é nos mostrado o editor de personagem que é bastante completo.

Neste editor podemos escolher 6 espécies diferentes:

  • Humano
  • Avian (Pássaro)
  • Apex (Macaco)
  • Floran (Flor)
  • Hylotl (Anfíbios)
  • Glitch (Robô)

Estas espécies são todas totalmente editáveis desde o sexo às características, às roupas, às cores do corpo/roupas e, dependente da espécie, podemos editar uma característica especifica dessa espécie.

Por exemplo: na espécie Floran podemos editar o tipo de flor da personagem e nos Avian podemos editar o tipo de bico.

Depois de criar a personagem, pode-se começar o jogo.

O jogo começa imediatamente com a nossa personagem numa nave onde nos são dadas instruções na forma de missões.

Uma vez que desçamos para o planeta começa a aventura.

A aventura é aquilo que fizermos da exploração do planeta.

O melhor exemplo de uma boa aventura foi quando desci para o planeta e uma espécie de seres estava a divertir-se sem qualquer interacção da minha parte.

O facto do jogos ser em 2D é um alivio dos típicos jogos de exploração 3D, eliminando assim a necessidade de ter um computador de ultima geração para poder jogar este jogo, e dá-lhe também um aspecto bastante interessante.

O comprimento do jogo é bastante bom, porquê? Porque novos planetas são criados de forma automática e aleatória: o jogo é infinito.

A empresa Chucklefish devia de criar mais missões para o jogo, pois assim que fazemos a sexta missão (contactar o espaço) acabam-se as missões lineares, mas isto não pode ser levado muito em conta visto que o jogo está em estado “alpha” e ainda está longe de ser acabado.

O facto de termos um Universo Infinito é um bom ponto porque assim evitamos a repetição.

Starbound é um jogo bastante bom, uma joia do mercado aliás, este jogo é mais do que recomendado para quem gosta de jogos em 2D e Minecraft, e que está com vontade de jogar o jogo em CO-OP com amigos.

João Rodrigues

Tags: