Tauromaquia: SIM!

Corridas de Toiros: um assunto polémico, capaz de provocar a divisão de famílias e até mesmo grupos de amigos. Há uma grande semelhança com o futebol, no entanto, neste caso só existem dois “clubes”: os A Favor e o Contra. Nos dias de hoje, a grande semelhança à tauromaquia é a praxe académica, há muitos a favor e uma minoria contra, no entanto, essa mesma minoria não respeita e quer ditar o fim.

Sou aficcionada, nasci e cresci neste meio e por isso nutro um gosto enorme por esta arte. Sempre que posso, não perco uma boa corrida quer em praça quer transmitida pela televisão.

Aprecio uma boa pega, tal como me dá um enorme gosto ver uma beleza do tipo teatral nas acções dos bandarilheiros e na simbiose perfeita que existe entre cavalo e cavaleiro dentro de uma arena.

Respeito todos aqueles que não gostam deste nobre espetáculo, contudo, não tenho a menor paciência para algumas afirmações contra, como as dos ativistas da Associação Animal para os quais, as corridas são sinónimo de tortura e sofrimento e que teimam em concentrarem-se em frente às praças de toiros, noemadamente do Campo Pequeno, fazendo um barulho infernal como forma de protesto sendo estes uma pequena minoria face às grandes enchentes que se fazem sentir.

Houve até em tempos, uma manifestação por parte desta associação apelando ao boicote do Campo Pequeno. Nunca os vi fazerem uma manifestação destas à entrada do Circo Victor Hugo Cardinali, por exemplo!

Frequentemente as pessoas que são contra este espetáculo consideram-no um espetáculo repugnante, basta vermos no site da Liga Portuguesa dos Direitos do Animal para percebermos com clareza, o que está em causa na argumentação anti-tauromáquica: “Cultura é tudo aquilo que contribui para tornar a humanidade mais sensível, mais inteligente e civilizada.

A violência, o sangue, a crueldade, tudo o que humilha e desrespeita a vida jamais poderá ser considerado “arte” ou “cultura”. ” Para além de considerar este conceito de “Cultura” um tanto ou quanto restrito, considero ainda que ao seguirmos à letra esta afirmação, vários outros desportos praticados teriam de ser estintos, exemplo disso são: o boxe, o karaté, e até mesmo o próprio futebol.

Não satisfeitos com esta afirmação, dizem ainda que ninguém questionou o toiro se queria fazer parte deste espetáculo, se assim entendermos, também ninguém questiona os animais do circo, das telenovelas, dos filmes, se estes desejariam fazer parte, ou até mesmo, quando estes anti-taurinos comem frango ou peixe assado, será que questionaram antes se o frango ou o peixe desejariam ser comidos?

As corridas de touros são um espetáculo com uma grande e forte tradição secular no nosso povo, portadoras de uma grande história, é algo que está enraizado nas “nossas” vidas, não esquecendo ainda que é algo que reverte fontes de receita, para o Estado por exemplo.

No que depende da grande maioria a favor da tauromaquia, na qual me incluo, não vamos eliminar este espetáculo da nossa cultura, do nosso território nacional, só porque existe uma minoria que não gosta…

Não gostam, não assistam! Eu também não sou a favor do casamento entre duas pessoas do mesmo sexo, também não sou a favor do aborto, no entanto, acarreto, respeito e sobretudo não protesto contra, com vista a ser politicamente correcta.

Aprendam a sê-lo também!!

Fontes: Liga Portuguesa dos Direitos dos Animais, Basta.pt, ProToiro

Fontes das imagens: Farpasblogue, Tvi24

Ana Rodrigues

Tags: