Trabalhadores da cantina do ISEG em greve

Os trabalhadores da cantina do Instituto Superior de Economia e Gestão ( ISEG), em Lisboa, iniciaram hoje, às 08:00, uma greve de 24 horas contra à remuneração inexistente de trabalho nocturno, horas extraordinárias, assim como os salários em atraso.

A direcção do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurante e Similares do Sul afirmou que a greve abrange os dez trabalhadores da Solnave, que “estão concentrados à porta do ISEG”.

Há um grande descontentamento por parte dos trabalhadores, o que levou à greve de hoje

acordo com os funcionários, a Solnave não paga os salários a tempo e “os trabalhadores recebem o salário muito além do final do mês, não paga trabalho nocturno, nem horas extraordinárias (…) recentemente deixou de cumprir as categorias sociais e retirou todos os prémios aos trabalhadores”, explicou Maria das Dores Gomes, funcionária da cantina, acrescentando ainda que “parece-nos existir má gestão, os salários são muito baixos e os trabalhadores nunca sabem quando vão receber.

Ao sindicato, a empresa deve três meses de quotizações sindicais, já descontadas aos trabalhadores”.

Os trabalhadores da cantina do ISEG estão a preparar uma greve para o próximo dia 26, “onde está a sede dos serviços sociais, a nível de Lisboa, para os quais a Solnave trabalha (…) para obrigar o cliente [Estado] a tomar algumas medidas”, anunciou ainda Maria das Dores Gomes.

A Solnave é uma empresa nacional, com “mais de mil trabalhadores, certamente”, responsável pelos refeitórios de algumas faculdades e do Ministério das Finanças.

Fontes: Sol, Jornal I

Rute Fidalgo e Vanessa Barroso

Tags: